terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Monólogos da vagina

A descer a pé em direcção ao metropolitano, Amélia trauteia, apetece-lhe dançar debaixo da chuva miúda, mover o corpo no meio da multidão, e que olhares furtivos a descubram, que homens discretos digam com os seus botões: olha vai ali uma mulher a cortejar o mundo. Sem a luz do sol, Amélia pensa nas estrelas, estou a caminho de uma cidade que amo, diz ela consigo, e nesta cidade há um homem com quem farei amor hoje à noite, que pousará as mãos sobre a minha pele, apartará as minhas pernas, tomará os meus seios como uma oferenda das mulheres aos que as desejam, e o seu sexo erguer-se-à quando souber que sou dele.
Amélia ao pensar nos homens vê o deserto e a sede, sempre que eles não podem esperar mais tempo pela humidade de uma mulher, pela água bem-aventurada que escorre entre as pernas delas quando eles embebem o corpo e a boca na unção extrema, os santos óleos dos vivos. 
O que importa é estar vivo, diz Amélia de baixo para cima.

27 comentários:

  1. De baixo para cima é uma bela forma de começar o ano.
    Excelente 2018 para si Sr. Impontual :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, JI. Bom ano.
      O que importa é estar vivo independentemente da orientação vectorial. :)

      Abraço.

      Eliminar
  2. Pois. Partiu...

    -
    Para o segundo dia do Ano, temos: "Perambular nesta viagem da vida"
    .
    Bjos e 2018 em grande.

    ResponderEliminar
  3. Essa Amélia é a dos olhos doces?
    Se for, o seu deslumbramento com a vida e a importância de se estar vivo, foi feita numa exclamação de CIMA para BAIXO...

    Bom Ano, Impontual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta Amélia só pode ser a dos olhos doces.

      Bom ano, Maria Antonieta.

      Eliminar
  4. Como é boa, essa certeza de um hpmem que a tomará com paixão!

    Beijinhos grandes e um 2018 para lá de feliz, Impontual! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só agora soube da Guida Maria. Uma mulher com uma garra extraordinária! Vi os "Monólogos" e confirmei que também continuava uma grande actriz!

      Eliminar
    2. Sim, é um acto de fé que dispensa ponderações.

      ( mais um que o agil carniceiro nos rouba )

      Abraço, Maria Eu.

      Eliminar
  5. Eu entendo a Amélia :)
    Bom resto de ano :)

    ResponderEliminar
  6. Amélia merece ser feliz, pelo menos hoje à noite, mas nem sempre a vida dá aos outros aquilo que eles merecem.

    Feliz ano novo para si e para a Amélia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A felicidade é o caminho.

      Obrigado. Bom ano.

      Eliminar
  7. Maldito seja aquele que nos rouba, tão cedo, as pessoas que admiramos e que foram importantes na nossa vida.
    :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "E os dias atravessam as noites até aos outros dias..."

      É terrível.

      Eliminar
  8. "O que importa é estar vivo, diz Amélia de baixo para cima."

    que beleza de afirmação,mesmo que eu considere que se pensa com o corpo todo,e isso é que é sentir :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa...mas parece-me que a Alexandra, sempre tão perspicaz, desta vez não percebeu nada...:)

      Eliminar
    2. Sentir é com o corpo todo (ponto).
      Aliás, será por isso que ao contrário do resto da criação, somos um ser falante. Portanto, falamos. E falamos para dizer o quê? O desejo. E o desejo só existe porque pode ser dito. Mesmo que por vezes nos seja impossível dizê-lo.

      Não é assim, Maria Antonieta?

      Eliminar
    3. Maria Antonieta,

      a minha perspicácia não costuma andar por mão alheia, pertence-me.

      espero ter-me feito entender, principalmente diante de quem não possui sequer um espaço próprio, que comentar, francamente, é fácil demais quando não se tem sequer um vislumbre da/do interlocutor/a :)

      Eliminar
  9. Mais uma que parte !! Paz à sua Alma. Achei piada ao texto

    Beijos. Um excelente ano de 2018.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bom ano, Cidália Ferreira. Cheio de monólogos poéticos.

      Eliminar
  10. Gosto dessas mulheres sem medo, acho que era assim também a Guida Maria, é portanto uma bela homenagem. Viva a vida!
    ~CC~

    ResponderEliminar